DILMA ROUSSEFF EM BUENOS AIRES: “ESTÃO CRIANDO NA SOCIEDADE UM MOVIMENTO PERSECUTÓRIO”
26-04-2019
A ex presidenta do Brasil Dilma Rousseff afirmou que os governos
de direita da região estão criando “um movimento persecutório”
contra as minorias e os dirigentes opositores.

Convidada pela Universidad Metropolitana para la Educación y el
Trabajo (UMET), Rousseff compareceu ao ato do “Comité Argentino
pela Libertade de Lula” e Justiça por Marielle em Buenos Aires”.
Rousseff se apresentou acompanhada pelo Prêmio Nobel da Paz,
Adolfo Pérez Esquivel; os deputados e deputadas nacionais,
Victoria Donda, Gabriela Cerruti, José de Mendiguren; diretivos de
universidades, dirigentes sociais e sindicalistas e personalidades da
arte e da cultura. “O golpe não foi contra o Lula, Dilma ou o Partido
dos Trabalhadores, foi contra um povo que se atreveu a construir a
justiça social no continente mais desigual do mundo”, assim
apresentou Nicolás Trotta, diretor da UMET e mentor da visita da
ex- presidenta de Brasil. Rousseff denunciou a perseguição contra
as minorias: “Marielle investigava, por isso a assassinaram.
Também representa a mulher brasileira que sofre violência e que
teve durante o nosso governo leis que a protegeram . Marielle era
negra, representa também tudo o que hoje faz à segregação
migrante. Também representa a rejeição à permissão para viver a
sexualidade”. “Estou feliz de que tenhamos aqui um momento de
solidariedade argentino-brasileira. Argentina faz uma manifestação
de solidariedade com dois brasileiros, um homem e uma mulher,
ambos lutadores pela melhora do mundo, Latinoamérica e do
Brasil”, agradeceu. Segundo disse, “estão criando na sociedade um movimento persecutório e paranoico. O Brasil é o segundo país
negro, depois do continente africano. A escravidão marcou a
formação do povo brasileiro”, expressou Rousseff.

E finalizou: “Havia uma integração de diferentes movimentos, este
foi um processo que se tornou incompatível para alguns no Brasil,
que participem índios, negros, mulheres, movimentos LGTB,
movimentos trabalhadores”.


Gentileza: Pol/JA (Noticias Argentinas), Grupo La provincia.